342
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Artigo Original

Tratamento de queimaduras de carboxiterapia em modelo experimental

Experimental model burns treatment with carboxytherapy

Marcos Carneiro de Lyra1; Hélio Leão Júnior1; Silvio Previde Neto1; Flávio Augusto Flório Stillitano de Orgaes2; Hamilton Aleardo Gonella3

RESUMO

INTRODUÇAO: O dióxido de carbono pode causar intensa vasodilataçao e liberaçao de gás carbônico para os tecidos, aumentando atividades dependentes de oxigênio, como a proliferaçao de fibroblastos e a atividade de polimorfonucleares. O objetivo deste estudo é observar a eficácia da carboxiterapia no tratamento de queimaduras em ratos.
MÉTODO: Vinte e quatro ratos Wistar adultos foram submetidos a queimadura por escaldo com água quente e divididos em três grupos: A - grupo controle; B - duas sessoes de carboxiterapia por semana; C - três sessoes de carboxiterapia por semana. Os animais foram sacrificados e foi realizado estudo histológico, avaliando a proliferaçao de fibroblastos, neoangiogênese, proliferaçao de folículos pilosos e infiltrados inflamatórios linfocitário e neutrofílico.
RESULTADOS: Nao houve diferença estatisticamente significativa no estudo histológico entre os grupos pesquisados.
CONCLUSAO: A literatura demonstra trabalhos que obtiveram alteraçoes na perfusao tecidual e nas fibras colágenas com a carboxiterapia. O presente trabalho nao apresenta diferenças estatísticas entre a carboxiterapia e o grupo controle.

Palavras-chave: Carbono. Dióxido de carbono. Queimaduras.

ABSTRACT

INTRODUCTION: Carbon dioxide (CO2) causes large vasodilatation and discharge of tissue oxygen, increasing its dependent biochemistry reactions such as fibroblasts proliferation and defense cells activity. The purpose of this study is to observe the effectiveness of carboxytherapy on treating burns in rats.
METHODS: Twenty four adult Wistar rats were subjected to burn by scalding with hot water and divided into three groups: A - control group; B - two sessions of carboxytherapy per week; C - three sessions of carboxytherapy per week. The animals were killed and a histological study was conducted evaluating fibroblasts proliferation, neoangiogenesis, hair follicle proliferation and lymphocyte and defense cells inflammatory reaction. RESULTS: There was no significant statistic difference in the histological study among the reported groups.
CONCLUSION: The literature shows reports that had changes in tissue perfusion and collagen fibers with the carboxytherapy. This paper presents results statistical no significant between carboxytherapy groups and control group.

Keywords: Carbon. Carbon dioxide. Burns.

A carboxiterapia passou a ser utilizada na Medicina a partir de 1930, desde entao vem sendo aplicada em várias áreas médicas. É utilizada largamente em cirurgias laparoscópicas1 na realizaçao do pneumoperitônio, nas histeroscopias e como contraste em arteriografias2. Recentemente vem se destacando seu uso com fins estéticos, no tratamento de celulite e estrias. Outras utilizaçoes relatadas sao para tratamento de úlceras de pressao, úlceras varicosas, pés diabéticos e queimaduras.

O gás carbônico é atóxico e presente normalmente no nosso organismo. Em situaçoes de repouso, nosso organismo produz cerca de 200 ml/minuto do mesmo, aumentando em até dez vezes frente a esforços físicos intensos3.

A açao farmacológica do anidro carbônico é vasodilataçao local, causando aumento do fluxo vascular e da pressao parcial de O2, por diminuir a afinidade do oxigênio pela hemoglobina, liberando, assim, mais O2 para os tecidos3. Esses efeitos causam aumento de atividades oxigênio-dependentes, como a fagocitose de bactérias por polimorfonucleares e produçao de fibroblastos, portanto, podem resultar em melhor cicatrizaçao.

A hipótese a ser testada é a eficácia da carboxiterapia nas queimaduras, atuando sobre os fibroblastos, polimorfonucleares e a vascularizaçao, bem como se essa açao poderia resultar em melhor cicatrizaçao dos tecidos queimados.

O objetivo do presente trabalho é avaliar a eficácia da carboxiterapia no tratamento de queimaduras em ratos.


MÉTODO

O presente trabalho seguiu um rigoroso protocolo de manuseio de animais, seguindo as normas pré-estabelecidas pelo Colégio Brasileiro de Experimentaçao Animal (COBEA). Foram analisados 24 ratos Wistar adultos (Rattus norvegicus albinus), por ser o mais frequentemente utilizado em estudos experimentais, em virtude do baixo custo e facilidade de obtençao.

Todos os animais foram anestesiados conforme o protocolo de pesquisa. Os fármacos utilizados foram o cloridrato de ketamina (anestésico geral), na dose de 100 mg/kg, e o cloridrato de xilazina (relaxante muscular), na dose de 6 mg/kg. A via de administraçao foi intramuscular, na pata direita traseira dos animais. Em alguns ratos, foi necessário administrar empiricamente uma dose um pouco maior, conforme individualidade no efeito e na metabolizaçao das drogas.

Após a anestesia, foi depilada uma janela de 4x4 centímetros no dorso dos animais. Todos os ratos foram expostos à queimadura com água quente.

O método de queimadura utilizado foi imersao em água a 70°C, durante dez segundos4,5, segundo protocolo já descrito para queimaduras de segundo grau em modelo experimental. A área imersa foi a mesma previamente depilada.

Após serem queimados, os 24 ratos foram divididos em 3 grupos de 8 ratos:

  • Grupo A - grupo controle;
  • Grupo B - duas sessoes por semana de caboxiterapia durante até 4 semanas;
  • Grupo C - três sessoes por semana de carboxiterapia durante até 4 semanas.


  • A primeira sessao de carboxiterapia, nos grupos B e C, teve início imediatamente após os animais serem queimados.

    Cada sessao de carboxiterapia consistiu em uma aplicaçao de 10 a 20 ml de gás carbônico na derme das áreas queimadas utilizando uma agulha fina e o aparelho Carbetek Monoâ (LOGUS Comércio de Produtos para a Saúde Ltda, Sao Paulo, Brasil) - Figura 1.


    Figura 1 - Aplicaçao de carboxiterapia.



    Os animais foram sacrificados em trios, um de cada grupo (A, B e C), nos dias 0; 3; 7; 10; 15; 21; 30 e 90; sendo o dia 0, o dia da realizaçao das queimaduras e início dos tratamentos propostos. Após o sacrifício, a área tratada era ressacada e submetida a estudo histopatológico. No dia zero, os animais foram sacrificados uma hora após a primeira sessao de carboxiterapia.

    Os critérios de avaliaçao histopatológica foram: proliferaçao de fibroblastos, neovascularizaçao, proliferaçao de folículos pilosos, infiltrado inflamatório linfocitário e neutrofílico. Foram atribuídas notas de 0 a 4 cruzes para cada critério.

    O método estatístico utilizado foi o de Kruskal-Wallis, por ser um trabalho de baixa amostragem, com grupos independentes e dados nao-paramétricos.


    RESULTADOS

    Os resultados sao apresentados nas Figuras 2 a 6.


    Figura 2 - Proliferaçao de fibroblasto. Kruskal-Wallis p = 0,7793.


    Figura 3 - Neoangiogênese. Kruskal-Wallis p = 0,3661.


    Figura 4 - Proliferaçao de folículos pilosos: Kuskal-Wallis p = 0,6963.


    Figura 5 - Infiltrado inflamatório linfocitário: Kruskal-Wallis p = 0,8321.


    Figura 6 - Infiltrado inflamatório neutrofílico: Kruskal-Wallis p = 0,8767.



    Nao foram observadas diferenças estatísticas entre os tratamentos propostos nos critérios estudados.


    DISCUSSAO

    Trabalhos na literatura demonstram a utilizaçao da carboxiterapia e suas açoes. Brandi et al.6, em ensaio clínico, demonstraram aumento da perfusao sanguínea e da PO2, em áreas tratadas com carboxiterapia. Em outro trabalho clínico, Brandi et al.7 demonstraram aumento na elasticidade da pele após tratamento com carboxiterapia. Entretanto, ambos os trabalhos de Brandi carecem de melhor estudo histopatológico comparativo entre grupos, pré e pós-tratamento, além de grupo controle.

    Ferreira et al.8, em trabalho experimental com ratos, demonstraram remodelaçao do colágeno em ratos tratados com carboxiterapia, porém o estudo apresentava pequena amostra. Savin et al.9, em trabalho clínico, demonstraram melhora da perfusao sanguínea nos membros inferiores de pacientes com claudicaçao intermitente por doença obstrutiva arterial periférica, porém submetendo os pacientes ao tratamento com CO2 tópico, nao percutâneo.

    O método estatístico utilizado no presente trabalho é ideal para analisar dados nao-paramétricos. Testes estatísticos como o Newman Keuls, utilizados indevidamente em outros trabalhos, sao para teste de variância normal, nao sendo adequados para os presentes dados.

    Levando-se em conta os critérios metodológicos utilizados no presente trabalho, nao houve diferença significativa no uso da carboxiterapia em queimaduras em relaçao à proliferaçao de fibroblastos, neoangiogênese, proliferaçao de folículos pilosos e infiltrados inflamatórios linfocitário e neutrofílico. Possivelmente, novos trabalhos, com maior amostragem e diferentes critérios, possam acrescentar novas informaçoes a essa linha de pesquisa, que ainda carece de literatura mais consistente.


    REFERENCIAS

    1. Shaw DR, Kessel DO. The current status of the use of carbon dioxide in diagnostic and interventional angiographic procedures. Cardiovasc Intervent Radiol. 2006;29(3):323-31.

    2. Vilos GA, Vilos AG. Safe laparoscopic entry guided by Veress needle CO2 insufflation pressure. J Am Assoc Gynecol Laparosc. 2003;10(3):415-20.

    3. Guyton AC. Tratado de fisiologia médica. 9th ed. Rio de Janeiro:Guanabara Koogan;1997. p.192-201; 465-74.

    4. Walker HL, Mason AD Jr. A standard animal burn. J Trauma. 1968;8(6):1049-51.

    5. Santos-Heredero FX, Hamann C, Obispo-Martin JM, Rodriguez-Arias C, Coca-Menchero S. Experimental burns models. Ann Burns Fire Disasters. 1996;9(2):96-101.

    6. Brandi C, D'Aniello C, Grimaldi L, Bosi B, Dei I, Lattarulo P, et al. Carbon dioxide therapy in the treatment of localized adiposities: clinical study and histopathological correlations. Aesthetic Plast Surg. 2001;25(3):170-4.

    7. Brandi C, D'Aniello C, Grimaldi L, Caiazzo E, Stanghellini E. Carbon dioxide therapy: effects on skin irregularity and its use as a complement to liposuction. Aesthetic Plast Surg. 2004;28(4):222-5.

    8. Ferreira JC, Haddad A, Tavares SA. Increase in collagen turnover induced by intradermal injection of carbon dioxide in rats. J Drugs Dermatol. 2008;7(3):201-6.

    9. Savin E, Bailliart O, Bonnin P, Bedu M, Cheynel J, Coudert J, et al. Vasomotor effects of transcutaneous CO2 in stage II peripheral occlusive arterial disease. Angiology. 1995;46(9):785-91.










    1. Médico Residente do Serviço "Linneu Mattos Silveira" da Pontifícia Universidade Católica de Sao Paulo (PUC), Sorocaba, SP, Brasil.
    2. Cirurgiao plástico do Serviço "Linneu Mattos Silveira" da PUC, membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Sorocaba, SP, Brasil.
    3. Cirurgiao plástico, membro titular da SBCP, Regente do Serviço "Linneu Mattos Silveira" da PUC, Sorocaba, SP, Brasil.

    Correspondência:
    Marcos Carneiro de Lyra
    Rua Claudio Manoel da Costa, 412 Apto. 12 - Jardim Vergueiro
    Sorocaba, SP, Brasil - CEP: 18030-083
    E-mail: marcosclyra@hotmail.com

    Artigo recebido: 19/1/2012
    Artigo aceito: 21/3/2012

    © 2024 Todos os Direitos Reservados