981
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Artigo de Revisao

Queimaduras infantis: Um estudo bibliométrico

Child burns: A bibliometric study

Nikoly Duane de Oliveira Gomes1; Evelin dos Santos Lima2; Natália Gonçalves3

RESUMO

OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi identificar a produçao do conhecimento sobre queimaduras em crianças, nos últimos 20 anos, na literatura brasileira.
MÉTODO: O método utilizado foi bibliométrico, por meio de busca nas bases de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e PUBMED, com os descritores de saúde crianças e queimaduras. Foram considerados os estudos realizados no Brasil, abordando somente vítimas infantis (até 12 anos) de queimaduras. 169 estudos foram identificados, sendo 48 selecionados para a amostra final.
RESULTADOS: Os estudos foram publicados em 26 periódicos diferentes e a publicaçao mais expressiva foi encontrada na Revista Brasileira de Queimaduras, com 24% dos artigos. O período com maior número de publicaçoes foi entre 2009 e 2013. Em relaçao aos autores, 37,5% eram médicos; 31 estudos tiveram como instituiçao sede a universidade/centro universitário. A produçao e publicaçao de artigos apresentou maior concentraçao na regiao Sudeste, com 39,6%; seguida da regiao Nordeste, 25,0%. A epidemiologia do trauma, seguida de conduta médica e prevençao foram as principais categorias abordadas pelos estudos analisados.
CONCLUSAO: Em conclusao, esta pesquisa identificou que grande parte dos estudos analisados foi epidemiológico, com médicos e enfermeiros sendo os principais autores, desenvolvidos em universidade e em duas regioes brasileiras. Destaca-se a necessidade de avançar em pesquisas clínicas com enfoque no cuidado, tratamento e na percepçao do processo de reabilitaçao da criança na sociedade.

Palavras-chave: Crianças. Acidentes. Queimaduras. Enfermagem.

ABSTRACT

OBJECTIVE: The aim of this study was to identify the scientific production on child burn, in the last 20 years, in the Brazilian literature.
METHOD: A bibliometric study was conducted in database Latin-American and Caribbean Health Sciences Literature (LILACS) and PUBMED, using the following descriptors: children and burns. In this research, it was included studies carried out in Brazil, approaching only children victims (up to 12 years) of burns. It was identified 169 studies and among those, 48 were selected to the final sample.
RESULTS: The studies were published in 26 different journals and the most expressive publication was found in the Revista Brasileira de Queimaduras, composing 24% of the articles. The period of time with higher volume of publication was between 2009 and 2013. Regarding the authors, 37.5% were physicians and 31 studies had, as host institution, a university. The publication of the articles had higher concentration in the Southeast region with 39.6%, followed by 25.0% in the Northeast region. The epidemiology of trauma, followed by medical management and prevention were the main categories addressed by the studies analyzed.
CONCLUSION: In conclusion, this study identified that most of the analyzed studies were epidemiological, with doctors and nurses and the main authors, developed in university and in two regions. Therefore, it is necessary to advance in clinical research with a focus on care, treatment and perception of the process of rehabilitation of children in society.

Keywords: Children. Accidents. Burns. Nursing.

INTRODUÇAO

A pele é o maior órgao do corpo e desempenha funçoes importantes para sua manutençao, como proteçao de danos causados pelo meio externos, regulaçao térmica, estética e produçao de vitamina, entre outras. Lesoes na pele, como as causadas pelas queimaduras, podem levar a um desequilíbrio dessas funçoes em nível local e sistêmico.

As queimaduras sao lesoes cutâneas causadas pela açao direta ou indireta do calor através de agentes químicos, elétricos, térmicos e radioativos1. Podem ser classificadas em relaçao à profundidade que atinge os tecidos. A queimadura de 1º grau atinge somente a epiderme, causando calor, dor e eritema, evoluindo rapidamente com descamaçao e a repercussao sistêmica é mínima. A lesao de 2º grau atinge a epiderme e parte da derme, acarretando dor, edema, eritema, flictena, erosao e ulceraçao; e o processo de cicatrizaçao é lento e pode gerar sequelas como discromia e cicatriz hipertrófica2,3.

A lesao de 3º grau é a forma mais grave, na qual há o comprometimento total da epiderme, derme e tecidos subcutâneos, podendo atingir tendoes, músculos, ligamentos e ossos, apresentandose de forma dura, seca, esbranquiçada ou escura e inelástica, sem presença de dor, devido à destruiçao de terminaçoes nervosas. Para este tipo de queimadura, é indicado enxerto, pois nao há regeneraçao espontânea2,3.

Segundo dados do National Burn Repository, nos Estados Unidos, as queimaduras em crianças menores de 5 anos correspondem a 20% do total de acidentes4. No Brasil, aproximadamente 945 mil acidentes por causas externas aconteceram com menores de 14 anos, no período de 2008 a 2014, sendo que 128 mil foram causados por corrente elétrica, radiaçao, temperatura, pressao extrema, exposiçao à fumaça, ao fogo e às chamas, contato fonte de calor e substâncias quentes5. De acordo com a literatura internacional e nacional, a maioria das queimaduras ocorre em crianças6,7, em ambiente doméstico (cozinha), sendo a principal causa os líquidos superaquecidos, seguido de objetos quentes e chama direta6.

No Brasil e em outros países em desenvolvimentos, os acidentes por queimaduras têm sido relacionados com cenário de baixas condiçoes socioeconômicas, com maes de baixa escolaridade e precariedade das condiçoes de moradia e dos utensílios da cozinha6,8, presença de alguma condiçao patológica pré-existente e uso de substâncias inflamáveis em casa6. Outros fatores de risco para os acidentes com crianças estao relacionados à curiosidade natural, à impulsividade, à falta de experiência para avaliar os perigos e a fase do desenvolvimento infantil na qual as crianças se encontram.

As queimaduras graves exigem vários dias de internaçao e acompanhamento terapêutico após a alta hospitalar, pois podem causar desfiguramento permanente, incapacidades9, e problemas emocionais10, como, por exemplo, estresse pós-traumático9. As repercussoes sociais devem ser consideradas no processo de reabilitaçao dessas vítimas, uma vez que as sequelas causadas podem levar ao isolamento social, dificultando o retorno às atividades de lazer e sociais (volta à escola, por exemplo)1.

Devido ao alto índice de queimaduras em crianças no Brasil, às sequelas físicas e psicológicas que este trauma causa, e o avanço no tratamento (pré-atendimento, internaçao e reabilitaçao) nos últimos 20 anos, justifica-se conhecer o que tem sido produzido sobre a temática no Brasil. Dessa forma, acreditamos que os resultados deste estudo podem favorecer o avanço na área, direcionando temas que ainda precisam ser investigados, principalmente, que visem à melhora da qualidade de vida das vítimas de queimaduras infantis.

O objetivo deste estudo foi identificar a produçao do conhecimento sobre queimaduras em crianças, nos últimos 20 anos, na literatura brasileira.


MATERIAL E MÉTODO

Estudo descritivo, do tipo bibliométrico, que auxilia na avaliaçao quantitativa das produçoes científicas de determinada disciplina11.

O levantamento das produçoes científicas foi realizado por meio das bases de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e PUBMED, as quais contemplam os principais periódicos nacionais e internacionais, além de outros tipos de materiais (tese e resumo, por exemplo); e, por meio da página da Revista Brasileira de Queimaduras. A inclusao da página da revista justifica-se, pois apresenta tanto as publicaçoes de artigos brasileiros e latino-americanos como os resumos aprovados nos congressos realizados pela Sociedade Brasileira de Queimaduras. Para a definiçao das palavraschave, foram utilizados os Descritores em Ciências da Saúde (DECs) e o MESH: Crianças e Queimaduras para a base LILACS; e, Child; Child, preschool; Burns; Brazil para a base PUBMED.

A estratégia de busca na base LILACS incluiu o cruzamento das palavras Crianças AND Queimaduras e na base PUBMED (("Child"[Mesh]) OR "Child, Preschool"[Mesh]) AND "Burns"[Mesh] and Brazil. Os limites/filtros considerados nas buscas foram humanos, período de 20 anos (1994-2014), literatura brasileira. Os critérios de inclusao foram: estudos que abordassem crianças vítimas de queimaduras (até 12 anos de idade), na língua portuguesa, produzidos no Brasil. Foram excluídos estudos que abordaram crianças e adultos/adolescentes, repetidos (publicados como tese e artigo).

As produçoes foram analisadas de acordo com um instrumento elaborado no programa Excel® 2007, para este estudo, contendo os seguintes itens: referência completa da produçao, base de dados, ano do estudo, tipo de publicaçao (tese, livro, artigo, resumo), nome da revista, instituiçao sede da pesquisa (universidade, centro universitário, hospital), palavras-chave/descritores utilizados, categoria profissional dos autores, regiao do Brasil na qual o estudo foi publicado, categoria temática do estudo. Para as produçoes que nao foram possíveis obter na íntegra, o resumo foi avaliado. Para a identificaçao da profissao dos autores, foi consultada a Plataforma Lattes12.

Após a leitura e fichamento dos artigos, foi realizado o agrupamento das ideias centrais em categorias temáticas do estudo. Como esta pesquisa nao envolveu seres humanos e analisou dados disponíveis publicamente, nao houve necessidade de aprovaçao do Comitê de Ética em Pesquisa13.

As análises descritivas, como frequência simples e relativa, foram realizadas para todas as variáveis categorizadas por meio do programa Statistical Package for Social Science - IBM SPSS, versao 15.


RESULTADOS

Foram analisadas 169 publicaçoes, correspondendo a um período de 20 anos (1994 a 2014), das quais 48 se enquadraram nos critérios de inclusao estabelecidos neste estudo. Cento e vinte e uma publicaçoes nao foram incluídas, pois abordavam outros acidentes (23; 19,0%), como, por exemplo, fraturas e quedas; doenças/temas (5; 4,1%); incluíam adultos, adolescente e idosos (57; 47,2%), adolescente (25; 20,7%); nao foi possível identificar a idade dos participantes no resumo (6; 5,0%); o foco do estudo foi com os pais (2; 1,7%) e nao foi encontrado o resumo ou artigo na íntegra (3; 2,3%).

Durante os 20 anos pesquisados, obteve-se uma média de 2,4 estudos publicados por ano (min=0 - máx=7). Nota-se um crescimento nas publicaçoes a partir do ano de 2009, com seis trabalhos em média, sendo 2009 e 2013 os anos com maior número de publicaçoes. Em cinco anos (1995, 1996, 2002, 2003 e 2014), nao foi selecionada nenhuma publicaçao, segundo os critérios pesquisados neste estudo. O Gráfico 1 exemplifica que na última década pesquisada houve maior número de publicaçoes sobre queimaduras infantis.


Gráfico 1 - Distribuiçao do número de publicaçoes pesquisadas sobre queimaduras. infantis durante 20 anos.
Fonte: Produçao do próprio autor.



O principal veículo de divulgaçao encontrado na amostra analisada foi o artigo, representando 69%% do total (Tabela 1). A maioria das publicaçoes analisadas foram selecionadas da base LILACS (28; 58,3%), seguida da Revista Brasileira de Queimaduras (11; 22,9%) e PUBMED (9; 18,8%).




Os trabalhos analisados neste estudo foram publicados em 26 revistas diferentes. Dessas, apenas três contribuíram com mais de duas publicaçoes. Conforme descrito na Tabela 2, verificou-se que a Revista Brasileira de Queimaduras foi o principal meio de contribuiçao, obtendo 11 (23,9%) publicaçoes, seguido da Burns, com cinco publicaçoes (10,9%).




As universidades/centros universitários se destacaram por serem as principais sedes de pesquisas, contribuindo com 31 publicaçoes do total de 48 analisadas, representando 64,6% do total de sedes de pesquisa. Hospitais representaram 35,4%, ou seja, 17 publicaçoes.

Em relaçao à categoria profissional, médicos e enfermeiros contribuíram com mais da metade das publicaçoes estudadas (Tabela 3).




Conforme demonstrado na Tabela 4, as regioes do Brasil que mais produziram foram a Sudeste (19; 39,6%) e a Nordeste (12; 25,0%).




As temáticas mais encontradas foram Epidemiológica, Conduta Médica e Prevençao. Outras categorias, como, Iatrogenias, Fatores de risco para queimaduras elétricas, Aspectos Psicológicos, Conduta Nutricional e Comportamental apareceram em dois estudos cada uma. Todas as outras demais abordaram o tema apenas uma vez, conforme explicitado na Tabela 5.




Entre as 108 palavras-chave encontradas nos estudos pesquisados, as que mais apareceram foram: Queimaduras (32; 66,7%); Crianças (19; 39,6%); Epidemiologia (6; 12,5%); Educaçao em saúde (5; 10,4%); Unidade de Queimados (5;10,4%); Fatores de risco (5;10,4%); Prevençao de acidentes (4; 8,3%) e Humanos (4; 8,3%). As palavras-chave restantes apareceram entre uma e três vezes nos estudos analisados.


DISCUSSAO

Este estudo apresentou resultados sobre a pesquisa brasileira com crianças, até 12 anos, vítimas de queimaduras. Durante o período estudado (20 anos), o número de publicaçoes sobre crianças vítimas de queimaduras na base de dados pesquisada, com os critérios estabelecidos, foi escasso. Entretanto, a partir de 2009, houve aumento no número das publicaçoes, possivelmente devido à inserçao da busca on-line na página da Revista Brasileira de Queimaduras, a qual foi divulgada a partir desse ano e foi o principal veículo de divulgaçao dos estudos (24,0%). Ademais, houve dois congressos nos anos de 2010 e 2012, nos quais foram publicados os resumos enviados, contribuindo para a divulgaçao dos estudos.

A disponibilidade de uma revista brasileira sobre queimaduras, gratuita e on-line, contribui para a divulgaçao e o avanço das pesquisas realizadas no país14, bem como auxilia no distanciamento entre o conhecimento produzido e os profissionais de saúde15, melhorando o tratamento prestado em unidades de saúde nao especializadas em vítimas de queimaduras.

Houve um grande número de estudos excluídos porque abordava crianças e adolescentes ou adultos (82; 68%). Apesar de reconhecer a importância de estudar crianças e adolescentes em uma única amostra, esse tipo de estudo pode inviabilizar a identificaçao de outros que abordem somente crianças, em suas diferentes fases, a fim de identificar métodos para reproduçao dos resultados e/ou avanço na área. Crianças e adolescentes tendem a ser muito diferentes nas fases de desenvolvimento, sendo necessário distinguir as idades dos envolvidos na pesquisa, bem como o método utilizado para alcançar os resultados.

Neste estudo, identificou-se que as instituiçoes de ensino sao as principais responsáveis pela produçao científica sobre queimadura em crianças, tendo o artigo como o principal recurso publicado e, médicos e enfermeiros como principais autores.

A Universidade, além de um ambiente de formaçao, deve ser um local de inovaçao tecnológica e educacional. Uma das formas da Universidade mostrar seu trabalho é por meio da produçao científica16, que pode estar disponível nas bases de dados, por meio de artigos. As publicaçoes sao importantes durante a carreira do professor/pesquisador, uma vez que expoem o trabalho desenvolvido para a comunidade científica16,17. Ademais, a produçao de conhecimento é um importante atributo da Universidade, uma vez que as avaliaçoes dos cursos de pós-graduaçao se dao, também, por meio da produçao científica18.

Medicina e enfermagem sao cursos tradicionais nas universidades e, nas instituiçoes de saúde, grande parte do quadro de funcionários é composto por enfermeiros e médicos. Embora 21% dos primeiros autores dos estudos analisados sejam enfermeiros, foram encontrados apenas dois artigos que abordassem aspectos específicos da enfermagem - diagnóstico e assistência, o que leva a destacar a importância do avanço das pesquisas voltadas para o cuidar da vítima de queimadura, na perspectiva desses profissionais.

As principais temáticas encontradas nos estudos analisados foram relacionadas com a epidemiologia, conduta médica e prevençao de queimaduras. Estudos epidemiológicos sao importantes para conhecer os padroes de ocorrência de condiçoes que afetam a populaçao, bem como seus fatores determinantes19. Os resultados desses estudos podem viabilizar açoes de prevençao de acidentes, uma vez que há identificaçao da populaçao mais afetada. Estudos sobre condutas médicas já eram esperados, uma vez que os médicos foram os principais autores dos estudos analisados.

A partir desses resultados, pode-se destacar a importância de avançar no conhecimento científico em relaçao à criança queimada, abordando sua integralidade e sua percepçao de qualidade de vida e dos processos que podem influenciar o enfrentamento durante a fase de reabilitaçao na sociedade.

Ao analisar as regioes estudadas, nota-se menor número de publicaçoes nas regioes Sul, Norte e Centro-Oeste, as quais apresentam menor número de universidades, comparadas às regioes Sudeste e Nordeste do país20, e menor número de instituiçoes com atendimento às vítimas de queimaduras21.

Como esperado, as palavras-chave mais encontradas nas publicaçoes, foram: queimaduras e crianças, corroborando com seu conceito de que elas auxiliam na identificaçao e caracterizaçao do trabalho publicado.

Este estudo apresenta algumas limitaçoes metodológicas, como, por exemplo, o fato de se buscar em apenas três veículos de informaçoes: as bases LILACS e PUBMED, e a Revista Brasileira de Queimaduras, o que pode contribuir para o pouco número de publicaçoes encontradas. Vale ressaltar que uma dificuldade na busca e análise desse trabalho ocorreu pelo grande número de publicaçoes envolvendo crianças e adolescentes, ou outras faixas etárias, como nos estudos epidemiológicos. A definiçao de criança pelo Estatuto da Criança e Adolescente, Lei nº 8069 artigo 2º, é a pessoa até 12 anos incompletos22. Dessa forma, optou-se por excluir todas as publicaçoes que abordassem adolescentes e adultos.


CONSIDERAÇOES FINAIS

Com base nos resultados encontrados neste estudo, conclui-se que, apesar da queimadura em criança ser um importante aspecto de agravo a saúde física, psicológica e social, ainda há poucos estudos que abordam o tema. Grande parte deles foi epidemiológico, com médicos e enfermeiros sendo os principais autores, desenvolvidos em universidade e em duas regioes brasileiras. Portanto, destacase a necessidade de avançar em pesquisas clínicas com enfoque no cuidado, tratamento e na percepçao do processo de reabilitaçao da criança na sociedade.


REFERENCIAS

1. World Health Organization (WHO). Burns. [Internet]. 2014 [citado 02 Maio 2014] Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs365/en/index.html

2. Prestes MA, Lopes Junior SLC. Gravidade da lesao e indicadores para internaçao hospitalar. In: Lima Junior EMN, Novaes FN, Piccolo NS, Serra MCVF, eds. Tratado de queimaduras no paciente agudo. Sao Paulo: Atheneu; 2008. p.49-52.

3. Montes SF, Barbosa MH, Sousa Neto AL. Aspectos clínicos e epidemiológicos de pacientes queimados internos em um Hospital de Ensino. Rev Esc Enferm USP. 2011;45(2):369-73.

4. American Burn Association (Aba). 2014 National Burn Repository. Report of data from 2004-2013. [Internet]. 2014 [Citado 27 Jun. 2014]. Disponível em: http://www.ameriburn.org/2014NBRAnnualReport.pdf

5. Brasil. Ministério da Saúde. DATASUS. Sistema de Informaçoes Hospitalares do SUS. Morbidade Hospitalar do SUS por causas externas, por local de internaçao. [Internet]. 2014 [Citado 06 Out. 2014]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/fiuf.def

6. Forjuoh SN. Burns in low- and middle-income countries: a review of available literature on descriptive epidemiology, risk factors, treatment, and prevention. Burns. 2006;32(5):529-37.

7. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situaçao. Viva: vigilância de violências e acidentes, 2008 e 2009. Brasília: Ministério da Saúde; 2010. p.138.

8. Vendrusculo TM, Balieiro CRB, Junior JAF, Rossi LA. Queimaduras em ambiente doméstico: características e circunstâncias do acidente. Rev Latino-Am Enfermagem. 2010;18(3):444-51.

9. Davoodi P, Fernandez JM, O SJ. Postburn sequelae in the pediatric patient: clinical presentations and treatment options. J Craniofac Surg. 2008;19(4):1047-52.

10. Sveen J, Sjöberg F, Öster C. Health-related quality of life in Swedish pediatric burn patients and associations with burn and family characteristics. Burns. 2014;40(5):987-94.

11. Vieira RQ, Sanna MC. O uso do estudo bibliométrico pelos pesquisadores da saúde em periódicos científicos digitais brasileiros. XXV Congresso brasileiro de biblioteconomia, documentaçao e ciência da informaçao; 2013; Santa Catarina, Brasil. p.2.

12. Brasil, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico (CNPq). Plataforma Lattes. [Internet]. 2014 [citado 03 Nov. 2014]. Disponível em: http://lattes.cnpq.br/

13. Brasil. Conselho Nacional de Saúde (CNS). Comissao Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP). 2012. Perguntas e respostas: pesquisas que envolvem somente dados de domínio público devem ser analisados pelo sistema CEP/CONEP. [Internet]. 2012 [Citado 10 Mar. 2014]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/web_comissoes/conep/aquivos/documentos/08_set_perguntas_respostas.pdf

14. Pereima MJL. A revista da SBQ e a informaçao científica. Rev Bras Queimaduras. 2013;12(2):59.

15. Schiozer W. Revista Brasileira de Queimaduras: um instrumento para prevençao e melhoria das condiçoes de tratamento de queimaduras. Rev Bras Queimaduras. 2012;11(1):1.

16. Tan YS, Goh SK. International students, academic publications and world university rankings: the impact of globalization and responses of a Malaysian public university. High Educ. 2014;68(4):489-502.

17. Fórum de Reflexao Universitária UNICAMP. Desafios da pesquisa no Brasil: uma contribuiçao ao debate. Sao Paulo Perspec. 2002;16(4):15-23.

18. Erdmann AL, Fernandes JD, Lunardi VL, Robazzi MLCC, Rodrigues RAP. O alcance da excelência por programas brasileiros de pós-graduaçao stricto sensu com doutorado em enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2012;21(1):130-9.

19. Lilienfeld AM, Lilienfeld DE. Foundations of Epidemiology. In: Lilienfeld AM, Lilienfeld DE. The Epidemiologic Approach to Disease. 2. ed London/New York: Oxford University Press; 1980. p.3-22.

20. Brasil. Ministério da Educaçao. Análise sobre Expansao das Universidades Federais 2003 à 2012. [Internet]. 2012 [Citado 03 Out. 2014] Disponível em: file:///C:/Users/user/Downloads/analise_expansao_universidade_federais_2003_2012.pdf

21. Sociedade Brasileira De Queimaduras. Serviços. [Internet]. 2014. [citado em 28 Out. 2014]. Disponível em: http://sbqueimaduras.org.br/categoria/servicos

22. Brasil. Estatuto da criança e do adolescente 7º ediçao. [Internet]. 2014. [Citado 28 Out. 2014]. Disponível em: file:///C:/Users/user/Downloads/estatuto_crianca_adolescente_7ed.pdf










1. Acadêmica do curso de graduaçao em Enfermagem da Faculdade de Jaguariúna, Jaguariúna SP, Brasil
2. Enfermeira, Jaguariúna, SP, Brasil
3. Enfermeira, Professora Doutora do curso de Enfermagem da Faculdade de Jaguariúna, Jaguariúna, SP, Brasil

Correspondência:
Natália Gonçalves
Rua Padre Francisco de Abreu Sampaio, 269, apto 115A
Campinas, SP, Brasil. CEP: 13036-140
E-mail: nataliasjbv@gmail.com

Artigo recebido: 3/3/2015
Artigo aceito: 26/4/2015

Local de realizaçao do trabalho: Faculdade de Jaguariúna, Jaguariúna, SP, Brasil.

© 2021 Todos os Direitos Reservados