1178
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Artigo Original

Perfil epidemiológico de pacientes vítimas de choque elétrico em um hospital de referência em Fortaleza

Epidemiological profile of patients victims of electric shock in a referral hospital in Fortaleza

Ana Neile Pereira de Castro1; Edmar Maciel Lima Júnior2

RESUMO

OBJETIVO: Este estudo tem como objetivo identificar o perfil epidemiológico dos pacientes vítimas de choque elétrico, atendidos em um Centro de Tratamento de Queimados do Estado do Ceará, no período de janeiro a dezembro de 2014.
MÉTODO: Foi realizado um estudo retrospectivo, baseado nas internaçoes dos pacientes vítimas de choque elétrico, no Centro de Tratamento de Queimados do Instituto Doutor José Frota (IJF), no período de janeiro de 2014 a dezembro do mesmo ano.
RESULTADOS: Dentre os 23 pacientes avaliados, observou-se maior incidência do sexo masculino (91%), a idade de 31 a 40 (39%) foi a mais acometida, o local de ocorrência do acidente, predominante, no sexo masculino, foi na construçao civil. Quanto à superfície corpórea queimada (SQC), 44% dos pacientes apresentavam menos de 10%, 39% tinham entre 10 e 25% de SCQ e 17% possuíam SCQ maior que 25%. Os membros superiores foram os mais acometidos, com lesoes em 83% dos pacientes. A maior parte dos internamentos durou menos de um mês.
CONCLUSOES: O trauma elétrico foi um pequeno número de casos do total das internaçoes, mas foram graves, acometendo homens jovens em acidentes de trabalho, com morbidade elevada, sendo necessárias campanhas de prevençao de acidentes de trabalho.

Palavras-chave: Queimaduras. Queimaduras por Eletricidade. Epidemiologia

ABSTRACT

OBJECTIVE: This study aims to identify the epidemiological profile of patients victimized by electric shock assisted at a Burns Treatment Center in the state of Ceará, from January to December 2014.
METHODS: We conducted a retrospective study, based on admissions of victimized electric shock patients in the Burns Treatment Center of Dr. José Frota Institute (IJF), being diagnosed by electric shock, between the period January 2014 to December of the same year.
RESULTS: Among the 23 patients evaluated, there was a higher incidence among men (91%), age 31-40 (39%) was the most affected, the predominant site of occurrence in both genders was in the in civil construction field. As for the body burned surface area (BSA), 44% of patients had less than 10%, 39% had between 10 and 25% BSA and 17% had BSA larger than 25%. The upper limbs were the most affected, with lesions in 83% of patients. Most hospital admissions lasted less than a month.
CONCLUSIONS: The electric trauma was a small number of cases out of the total admissions, but were serious, affecting young men in work accidents, with high morbidity, requiring prevention campaigns to avoid work site accidents.

Keywords: Burns. Burns, Electric. Epidemiology

INTRODUÇAO

Queimaduras sao lesoes causadas por agentes térmicos, químicos, elétricos ou radioativos, que agem no tecido de revestimento do corpo humano e podem destruir parcialmente ou totalmente a pele e seus anexos, até atingir camadas mais profundas, como tecidos subcutâneos, músculos, tendoes e ossos1.

De acordo com a extensao e a profundidade da lesao, a queimadura poderá ser classificada como de: (a) primeiro grau, na qual a lesao atinge apenas a camada mais superficial da pele, apresentando vermelhidao local, ardência, inchaço e calor local; (b) segundo grau, em que a lesao atinge as camadas mais profundas da pele, sendo característica típica deste tipo a presença de bolhas e; (c) terceiro grau, na qual a lesao se dá por completo, atingindo os tecidos mais profundos, podendo chegar ao tecido ósseo2,3.

As lesoes causadas por corrente elétrica têm características físicas peculiares, que se traduzem em importantes alteraçoes nos tecidos orgânicos por ela atingida. Por isso, as queimaduras elétricas apresentam uma evoluçao diferente das queimaduras produzidas por outros agentes (térmicas, químicas ou por radiaçao) e requerem uma abordagem diferenciada4,5

Estudos realizados no Hospital Municipal Carmino Caricchio (Tatuapé/SP) mostram que a etiologia elétrica de queimadura representa uma pequena parcela das internaçoes por queimaduras (9,45%), com inúmeras peculiaridades quanto a epidemiologia, a gravidade, a evoluçao e o tratamento. A imensa maioria dos acidentes ocorreu em ambiente de trabalho, em atividades predominantemente masculinas, como a construçao civil, explicando a alta incidência no sexo masculino (95%). A faixa etária economicamente ativa, pelo mesmo motivo, também foi a mais acometida6.

Apesar de corresponder a uma pequena parcela das causas de queimaduras, a eletricidade apresenta um crescimento, em detrimento à queda apresentada pelo total de vítimas de queimaduras. Além disso, a mortalidade também apresenta considerável crescimento nas últimas décadas, a despeito da melhoria dos cuidados médicos6,7.

Estudar o perfil do paciente atendido nas unidades de queimaduras é tentar entender os principais mecanismos do trauma por choque elétrico e, a partir daí, criar medidas para reduzir o número de eventos e adequar o atendimento, tanto quantitativamente quanto qualitativamente.

Este estudo tem como objetivo identificar o perfil epidemiológico dos pacientes vítimas de choque elétrico atendidas em um Centro de Tratamento de Queimados do Estado do Ceará, no período de janeiro a dezembro de 2014.


MATERIAL E MÉTODO

Foi realizado um estudo transversal, retrospectivo, por meio de questionário com pacientes vítimas de choque elétrico internados no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), do Hospital Terciário de Urgência e Emergência do Município de Fortaleza/Ceará, no período de janeiro de 2014 a dezembro do mesmo ano.

Um formulário elaborado pelos autores foi utilizado para a coleta de dados. Neste, variáveis como: nome, idade, sexo, procedência, data da internaçao, data da alta hospitalar, área da superfície corporal queimada, profundidade da lesao e o local do acidente.

Os dados obtidos foram analisados por meio de estatística descritiva, utilizando-se o programa Microsoft Excel 2007 e os resultados foram apresentados em média ± desvio padrao e expostos na forma de gráficos.

O estudo seguiu os princípios éticos e legais, de acordo com as recomendaçoes da resoluçao nº 196/96 do CNS, que estabelece os princípios para pesquisas em seres humanos, sendo aprovado pelo Comitê de Ética da instituiçao, para apreciaçao com o protocolo número 16858213.1.0000.5047.


RESULTADOS

No período relatado, foram levantadas 23 internaçoes por queimaduras elétricas. Em relaçao ao sexo, de forma global, o masculino correspondeu a 21 casos (91%) e o feminino apenas dois (9%) (Figura 1). A faixa etária mais acometida foi dos 31 aos 40 anos, com nove casos (39%) (Figura 2). Os acidentes de trabalho foram responsáveis por 70% das internaçoes, sendo que 64% ocorreram na construçao civil.


Figura 1 - Distribuiçao dos casos de trauma elétrico pelo sexo.


Figura 2 - Distribuiçao dos casos de trauma elétrico por faixa etária.



Quanto ao tipo de trauma elétrico, 78% foram por passagem de corrente elétrica e 22% por arco voltaico (Figura 3).


Figura 3 - Distribuiçao dos casos de trauma elétrico, por tipo de mecanismo de lesao.



A superfície corpórea queimada, na maioria dos pacientes, representou um percentual de 44%, que se mostrou menor que 10% SCQ, 39% tinham entre 10 e 25% de SCQ e 17% possuíam SCQ maior que 25% (Figura 4). Os membros superiores foram os mais acometidos, sendo lesados em 83% dos pacientes, enquanto que os membros inferiores foram atingidos em 17% dos pacientes (Figura 5). Em 87% dos casos, os pacientes apresentavam queimaduras profundas de terceiro grau (Figura 6).


Figura 4 - Distribuiçao dos casos de trauma elétrico pela superfície corpórea queimada.


Figura 5 - Distribuiçao dos casos de trauma elétrico pelo acometimento da regiao anatômica.


Figura 6 - Distribuiçao dos casos de trauma elétrico pela profundidade da lesao.



DISCUSSAO

O surgimento da eletricidade levou ao aparecimento de um novo agente etiológico de queimadura, com suas particularidades, fisiopatologia e tratamento específico. Quando associada a outros traumas, é denominado como trauma elétrico8. A queimadura por eletricidade ocorre quando existe passagem de corrente elétrica pelo corpo, se diferenciando por ser de alta ou baixa voltagem, e, quando associada a outros traumas, é denominada como trauma elétrico8.

O predomínio da incidência de queimaduras no sexo masculino encontrado a partir da análise dos resultados em nosso estudo é mostrado em outros trabalhos2,9, isso explica a alta incidência de acidentes em ambiente de trabalho (70%), atividade predominantemente masculina10. A faixa etária economicamente ativa, pelo mesmo motivo, também foi a mais acometida.

Quanto à extensao das queimaduras, a superfície corpórea queimada, na maioria dos pacientes, se mostrou menor de 10% SCQ, e a profundidade teve como predomínio as de 3º grau, gerando um acometimento dos membros superiores, resultado que foi também semelhante ao descrito nos estudos de Miranda et al.6 e Silva et al.10. O local da lesao que se justifica pela associaçao deste tipo de queimadura com manipulaçao de equipamentos e/ou instalaçoes elétricas de alta voltagem no ambiente de trabalho.


CONSIDERAÇOES FINAIS

O conhecimento dos fatores epidemiológicos inerentes ao trauma elétrico faz-se importante para o reconhecimento do impacto e do modo de ocorrência das queimaduras elétricas em nosso meio, por se constituir, na maioria, em acidentes de trabalho atingindo a faixa etária economicamente ativa da populaçao, determinandose, assim, a necessidade de realizaçao de campanhas educativas na prevençao de injúrias elétricas.


REFERENCIAS

1. Viana FP, Resende SM, Tolêdo MC, Silva RC. Aspectos epidemiológicos das crianças com queimaduras internadas no Pronto Socorro para Queimaduras de Goiânia-Goiás. Rev Eletr Enf. 2009;11(4):779-84.

2. Albuquerque MLL, Silva GPF, Diniz DMSM, Figueiredo AMF, Câmara TMS, Bastos VPD. Análise dos pacientes queimados com sequelas motoras em um hospital de referência na cidade de Fortaleza-CE. Rev Bras Queimaduras. 2010;9(3):89-94.

3. Bolgiani A, Lima Júnior EM, Serra MCVF. Quemaduras - Conductas Clínicas y Quirúrgicas. Rio de Janeiro: Atheneu; 2013.

4. Lima Junior EM, Barbosa RC, Teixeira PRO, Melo FRF. Balneoterapia. In: Maciel E, Serra MC, eds. Tratado de queimaduras. 1a ed. Sao Paulo: Atheneu; 2004. p.421-30.

5. Danilla Enei S, Pastén Rojas J, Fasce Pineda G, Díaz Tapia V, Iruretagoyena Bruce M. Mortality trends from burn injuries in Chile: 1954-1999. Burns. 2004;30(4):348-56.

6. Miranda RE, Paccanaro RC, Pinheiro LF, Calil JA, Ferreira LM. Trauma Elétrico: análise de 5 anos. Rev Bras Queimaduras. 2009;8(2):65-9.

7. Lima Júnior EM, Novais FN, Piccolo NS, Serra MCVF. Tratado de Queimaduras no Paciente Agudo. Sao Paulo: Atheneu; 2008. p.333.

8. Oliveira RA, Bersan ML, Dupin AE, Viel DO, Silva PV, Leao CEG. Abordagem de queimadura elétrica em membro superior. Relato de Caso. Rev Bras Queimaduras. 2013;12(3):187-91.

9. Dassie LTD, Alves EONM. Centro de tratamento de queimados perfil epidemiológico de crianças internadas em um hospital escola. Rev Bras Queimaduras. 2011;10(1):10-4.

10. Silva LA, Marques EGSC, Jorge JLG, Naif-de-Andrade CZ, Lima RVKS, Andrade GAM. Avaliaçao epidemiológica dos pacientes com sequelas de queimaduras atendidos na Unidade de Queimados do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirao Preto - Universidade de Sao Paulo. Rev Bras Queimaduras. 2014;13(3):168-72.










1. Enfermeira. Graduada pela Faculdade Integrada da Grande Fortaleza (FGF), Fortaleza, CE, Brasil
2. Médico, Cirurgiao Plástico do Centro de Queimados do Instituto Dr. José Frota e Presidente do Instituto de Apoio ao Queimado, Fortaleza, CE, Brasil

Correspondência:
Ana Neile Pereira de Castro
Rua 2, nº 150/204 - Presidente Kennedy
Fortaleza, CE, Brasil - CEP: 60355-634
E-mail: neilecastro@hotmail.com

Artigo recebido: 20/2/2015
Artigo aceito: 1/4/2015

Local de realizaçao do trabalho: Instituto Dr. José Frota, Fortaleza, CE, Brasil.

© 2021 Todos os Direitos Reservados