1691
Visualizações
Acesso aberto Revisado por pares
Artigo Original

Características epidemiológicas dos pacientes com queimaduras de terceiro grau no Hospital de Urgências de Sergipe

Epidemiological characteristics of patients with third degree burns in Hospital of Emergency of Sergipe

Manuela Sena de Freitas2; Marcella Menezes Machado3; Rebeca Zelice da Cruz de Moraes2; Allisson Hora Sousa4; Luiza Helena Ferreira Britto Aragão3; Rafael Adailton dos Santos Junior3; Estácio Franco Guimarães Pinto3; Kênya de Souza Borges5; Bruno Barreto Cintra1

RESUMO

OBJETIVO: Identificar a taxa de prevalência e as características da populaçao acometida por queimaduras de terceiro grau no estado de Sergipe.
MÉTODO: Trata-se de um estudo de abordagem quantitativa, do tipo retrospectivo e descritivo, utilizando dados que foram coletados do sistema de registro de Cirurgia Plástica da Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), referentes às vítimas de queimaduras de terceiro grau do serviço no período compreendido entre janeiro de 2009 e maio de 2014, o que totalizou a análise de 1059 registros.
RESULTADOS: Foram analisados 182 registros. Houve maior prevalência do público adulto (56%), do gênero masculino (74,2%), com queimaduras provocadas por agente térmico (65,9%) e relaçao significante entre extensao da superfície corporal queimada e maior mortalidade (p=0,003). Além disso, foi observado um baixo índice de óbito (6%).
CONCLUSAO: Indivíduos do sexo masculino e adultos representam o maior número de casos com queimaduras, os quais apresentam extensao média, sendo os agentes térmicos os mais frequentes e quanto maior a extensao da queimadura, maior o risco de óbito. Dados estatísticos como estes representam uma ferramenta imprescindível para o cuidado da populaçao que se pretende tratar, possibilitando o desenvolvimento de estratégias em prol da prevençao deste grande mal e reduçao progressiva de sua prevalência.

Palavras-chave: Queimaduras. Unidades de Queimados. Epidemiologia.

ABSTRACT

OBJECTIVE: To identify the prevalence and characteristics of the population affected by third-degree burns in the state of Sergipe.
METHOD: This is a study with a quantitative approach, retrospective and descriptive, using data that were collected from the Plastic Surgery registration system of Burn Care Unit of the Emergency Hospital of Sergipe (HUSE) related for victims of third degree burns service in the period between January 2009 and May 2014, totaling analysis 1059 records.
RESULTS: We analyzed 182 records. There was a higher prevalence of adult audience (56%), males (74.2%), with burns caused by thermal agent (65.9%) and significant relationship between length of body surface burned and higher mortality (p=0.003). Furthermore, a low death rate was observed (6%).
CONCLUSION: Male children and adults represent the largest number of cases with burns, which have an average length, and the thermal agents the most frequent and the greater the extent of the burn, the greater the risk of death. Statistics like these represent an essential tool for the care of the population to be treated, allowing the development of strategies for the prevention of this great evil and gradually reducing its prevalence.

Keywords: Burns. Burns Units. Epidemiology.

INTRODUÇAO

Queimaduras sao lesoes cutâneas originadas da açao direta ou indireta do calor sobre a pele de um indivíduo. Esse calor pode ser originário de diferentes fontes, como: chama direta, contato com água ou outros líquidos ferventes, contato com superfície aquecida, corrente elétrica ou agentes químicos1.

Estas lesoes podem comprometer diferentes estruturas orgânicas e sao avaliadas em graus, conforme a profundidade do trauma nos tecidos acometidos. Características que sao consideradas na definiçao do tratamento a ser adotado e que também dificultam a definiçao de dados epidemiológicos precisos2. Apesar de nao existir uma estatística definida das queimaduras no Brasil, estima-se que superem os números norte-americanos, que giram em torno de 40.000 internaçoes ao ano por queimaduras, das quais 10% resultaram em óbito.

Dentre os três graus de queimaduras, as de terceiro grau sao aquelas que apresentam maior morbimortalidade, e, assim, merecem atençao especial3. Elas acometem toda a derme e atingem tecidos subcutâneos, com destruiçao total de nervos, folículos pilosos, glândulas sudoríparas e capilares sanguíneos, podendo inclusive atingir músculos e estruturas ósseas. Sao caracterizadas por serem de espessura total, indolores, formam placas esbranquiçadas ou enegrecidas, com textura coreácea, que nao reepitelizam e muitas vezes necessitam de enxertia de pele2. Além disso, as queimaduras de terceiro grau podem até mesmo levar a óbito. Outro fator a ser considerado é sua importância para a saúde pública brasileira, tendo em vista que segundo o Ministério da Saúde se gasta em média R$1 milhao/mês com internaçoes de pacientes graves4,5.

Sao variados os dados que podem ser obtidos para analisar estatisticamente e epidemiologicamente as queimaduras de terceiro grau. Dentre eles, os principais sao: faixa etária, gênero, procedência e agente causador da queimadura.

Assim, os serviços de atendimento a queimados sao a fonte de dados que pode ser utilizada para a realizaçao de estudos epidemiológicos que caracterizem a populaçao acometida pelas queimaduras, especialmente as de terceiro grau, já que devem ser obrigatoriamente encaminhadas para atendimento em serviço especializado6.

Em Sergipe, os dados sobre acidentes com queimaduras estao centralizados na Unidade de Terapia de Queimados (UTQ) do Hospital de Urgências de Sergipe (HUSE), visto que este é o único serviço credenciado, que por tanto, conta com estrutura física e profissional para o atendimento a esta populaçao.

Pelo exposto, o presente estudo teve como objetivo identificar a taxa de prevalência e as características da populaçao acometida por queimaduras de terceiro grau no estado de Sergipe.


MÉTODO

Trata-se de um estudo retrospectivo, descritivo e transversal, com abordagem quantitativa, utilizando dados do sistema de registro de Cirurgia Plástica da Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), referentes às vítimas de queimaduras de terceiro grau que foram admitidas no serviço da cirurgia plástica da referida Unidade, durante o período compreendido entre janeiro de 2009 e maio de 2014, o que totalizou uma amostra de 182 registros.

Os dados descritivos estudados incluíram: gênero, idade (para sua avaliaçao utilizou-se uma estratificaçao em faixas etárias, considerando-se 0 a 6 anos, primeira infância; 7 a 12 anos segunda infância; 13 a 18 anos abrangendo os púberes; 19 a 60 anos correspondendo à faixa etária adulta e acima de 61 anos perfazendo a populaçao idosa), procedência, tempo de internaçao hospitalar, mês de admissao, classificaçao da queimadura quanto ao porte e à profundidade, agente etiológico e desfecho da hospitalizaçao (alta ou óbito).

A pesquisa foi submetida ao Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal de Sergipe e autorizada sob registro nº21829813000005546 e pelo Núcleo de Educaçao Permanente (NEP) doHospital de Urgência de Sergipe (HUSE), bem como seguindo as normas da Resoluçao nº 196/96 do Conselho Nacional de Saúde (CNS).

Na análise estatística, as variáveis quantitativas foram representadas por meio de médias e desvios-padrao, e as qualitativas, por frequências absolutas e relativas. Os dados foram analisados com o Statistical Package for the Social Sciences, SPSS® version 21.0 para Windows. Para avaliar as associaçoes entre as variáveis, foi aplicado o teste qui-quadrado de Pearson. O nível de significância adotado foi de 5%, sendo p<0,05considerado estatisticamente significativo.


RESULTADOS

Foram analisados os registros de 1059 pacientes, dos quais 182 registros eram de pacientes com queimaduras de terceiro grau.

Houve um predomínio de lesoes de primeiro e segundo grau, que correspondeu a 82,8% de toda amostra. Embora com elevada representatividade das lesoes de primeiro e segundo graus, a prevalência de queimaduras de terceiro grau foi elevada, representando 17,18% do total. Dentre esses dados, 135 (74,2%) foram de pacientes do gênero masculino e 47 (25,8%) do gênero feminino. Quanto à procedência das vítimas do trauma, a maior frequência dos eventos ocorreu no interior do Estado 115 (63,2%), seguida pela capital Aracaju 52 (28,6%), 15 pacientes vieram de outros Estados, o que totalizou 8,2% dos casos. Para a avaliaçao da prevalência de idade, evidenciou-se a maior prevalência de queimaduras na faixa etária entre 19 a60 anos (56%) seguida da faixa etária de 0 a 6 anos (17%) (Tabela 1).




A análise da amostra evidenciou que a maior parte dos pacientes 92 (50,5%) foram classificados como médios queimados, 77 (42,3%) grandes queimados e 13 (7,1%) pequenos queimados (Figura 1).


Figura 1 - Ocorrência de queimaduras segundo o mês encontrado nas 182 vítimas de queimaduras de terceiro grau, atendidas no serviço de cirurgia plástica da Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital de Urgências de Sergipe entre janeiro de 2009 e maio de 2014.



Quanto à profundidade, verificou-se maior prevalência das queimaduras de terceiro grau, de espessura total, associada às de segundo grau, espessura parcial, equivalentes a 120 casos (65,9%), seguida por 55 ocorrências (30,2%) somente de terceiro grau e apenas 7 casos (3,8%) de primeiro, segundo e terceiro graus associados.

Quanto ao agente causador, houve uma superioridade dos agentes térmicos em 120 (65,9%) casos, seguidos, respectivamente, por agentes elétricos 30 (16,5%), abrasivos 15 (8,2%), químicos três (1,6%), outros agentes representaram 14 casos (7,7) (Tabela 2).




Os meses de janeiro e junho foram os de maior número de atendimentos por queimaduras, seguidos por maio; porém, observou-se que aconteceram acidentes por queimaduras por todo ano com variaçao expressiva (Figura 1).

Em relaçao ao desfecho da hospitalizaçao, observou-se uma frequência de alta da unidade em 171 pacientes (94%), em relaçao ao número de óbitos 11 (6%).

Constatou-se forte correlaçao entre o porte da queimadura e a ocorrência de óbitos, verificando-se que quanto maior a extensao da superfície corporal queimada, maior a mortalidade. Nessa relaçao houve significância estatística p=0,003 (Figura 2).


Figura 2 - Correlaçao entre o porte da queimadura e o número de pacientes que receberam alta hospitalar ou foram a óbito nas vítimas de queimaduras de terceiro grau atendidas no serviço de cirurgia plástica da Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital de Urgências de Sergipe entre janeiro de 2009 e maio de 2014.



DISCUSSAO

É relevante o conhecimento da prevalência e os fatores associados a queimaduras de terceiro grau, pois dados estatísticos desse trauma fornecem subsídios para instituiçao de programas de prevençao e tratamento da queimadura e definem um paralelo entre as experiências de centros nacionais e internacionais.

No levantamento do presente estudo, os pacientes hospitalizados do sexo masculino corresponderam a 74,2% e do sexo feminino a 25,8%. Foi observada prevalência semelhante aos dados encontrados de pesquisas no Brasil, havendo predominância do sexo masculino. Isso pode ser explicado devido ao comportamento da populaçao masculina, que se caracteriza pela acentuada capacidade de explorar o ambiente, excessiva atividade motora e menor cautela, representando maior risco de acidentes por queimaduras7-10.

A predominância das lesoes de 3º grau ocorreu entre pacientes adultos, com idade na faixa de 19 a 60 anos (56%). Achados coincidentes com estudos epidemiológicos nos quais a faixa etária mais acometida é de adultos8-10. Por outro lado, as queimaduras de 1º e 2º graus apresentam sua maior frequência entre crianças e adolescentes10-12.

Quanto à extensao da queimadura, nas lesoes de 3º grau, 50,5% das vítimas foram considerados como médios queimados, em detrimento de uma menor frequência de grandes (42,3%) e pequenos queimados (7,1%). Estes dados estao de acordo com os resultados encontrados no Centro de Tratamento de Queimados de Natal por Queiroz et al.3.

O agente térmico, chama direta, foi confirmado como a principal fonte etiológica de queimaduras de terceiro grau (65,9 %), seguido por agentes elétricos - 30 (16,5%), abrasivos - 15 (8,2%), químicos - 3 (1,6%) e 14 (7,7%) dos casos foram compostos por outros agentes. Esses dados sao semelhantes aos achados em literatura3,13. A maior frequência de queimaduras ocorreu nos meses de janeiro e junho, perfazendo as percentagens de 14,3% e 12,6%, respectivamente.

Sobre o local geográfico, os dados demonstram que a maioria dos pacientes atendidos foi do próprio Estado, entretanto com um maior número procedente do interior do Estado com (63,2%), em relaçao ao número da Capital (28,6%). Houve, inclusive, pacientes provenientes de Estados vizinhos, com 8,2% dos atendimentos. Esses dados representam o fato deste Hospital ser o centro de referência em tratamento de queimados no Estado, bem como de cidades que fazem fronteira com nosso Estado.

Verificou-se uma maior letalidade associada a queimaduras de terceiro grau (6%), se comparada a estudos que analisam a letalidade de todos os graus de queimaduras, sendo este fato corroborado pelo estudo desenvolvido por Nascimento et al.14, que encontrou reduzida taxa de mortalidade (2%) na UTQ de Sergipe.

É notória que a extensao da queimadura aumenta proporcionalmente a mortalidade, visto que 90% dos pacientes que foram a óbito eram grandes queimados. Alguns autores mostram que a superfície corporal queimada (SCQ) é uma variável que afeta o desfecho do paciente. Esses achados elucidam a presente pesquisa, verificando-se que quanto maior o porte da queimadura, mais frequente é a ocorrência de óbito15,16.


CONCLUSAO

A partir do estudo realizado, percebeu-se alta prevalência de queimaduras de terceiro grau no público, que se caracteriza por ser adulto, do gênero masculino, com queimaduras provocadas por agente térmico, apresentando médio porte. Além disso, foi observado um baixo índice de óbito, sugerindo a eficiência do serviço de atendimento ao paciente queimado no Estado de Sergipe.

Este estudo evidencia a necessidade do conhecimento dos dados estatísticos sobre queimaduras como ferramentas imprescindíveis para a populaçao que se pretende tratar, possibilitando o desenvolvimento de estratégias em prol da prevençao deste grande mal e reduçao progressiva de sua prevalência.

Considera-se que futuros estudos poderao incluir na sua análise aspectos relevantes, tais como os procedimentos cirúrgicos realizados durante o período de internaçao hospitalar, bem como o tempo de recuperaçao pós-alta hospitalar, visto que esses dados nao foram compilados nos registros do serviço.


REFERENCIAS

1. Montes SF, Barbosa MH, Sousa Neto AL. Aspectos clínicos e epidemiológicos de pacientes queimados internados em um Hospital de Ensino.Rev Esc Enferm USP. 2011;45(2):369-73.

2. Chapleau Will. Manual de emergências: um guia para primeiros socorros. Rio de Janeiro: ElsevierMosby; 2008.408p.

3. Queiroz PR, Lima KC, Alcântara IC. Prevalência e fatores associados a queimaduras de terceiro grau no município de Natal, RN - Brasil. Rev Bras Queimaduras. 2013;12(3):169-76.

4. Camuci MB, Martins JT, Cardeli AAM, Robazzi MLCC. Caracterizaçao epidemiológica de pacientes adultos internados em uma unidade de terapia intensiva de queimados.Cogitare Enferm.2014;19(1):78-83

5. Macedo AC, Proto RS, Moreira SS, Gonella HA. Estudo epidemiológico dos pacientes internados na Unidade de Tratamento de Queimados do Conjunto Hospitalar de Sorocaba entre 2001 a 2008. Rev Bras Queimaduras. 2012;11(1):23-5.

6. Piccolo NS, Serra MCVF, Leonardi DF, Lima Jr EM, Novaes FN, Correa MD, et al. Queimaduras: Diagnóstico e Tratamento Inicial. Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - Projeto Diretriz. Associaçao Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina. 2008;1-14. [Acesso: 24 Jun2014]. Disponível em: http://www.projetodiretrizes.org.br/projeto_diretrizes/083.pdf

7. Andrade GC. Queimaduras: Estudo dos aspectos clínico-epidemiológicos de pacientes internados na Unidade de Queimados em Hospital Público de Teresina, Piauí [Dissertaçao de mestrado]. Sao Paulo: Universidade Cruzeiro do Sul; 2011.

8. Gawryszewski VP, Bernal RTI, Silva NN, Morais Neto OL, Silva MMA, Mascarenhas MDM, et al. Atendimentos decorrentes de queimaduras em serviços públicos de emergência no Brasil, 2009. CadSaude Publica. 2012;28(4):629-40.

9. Golshan A, Patel C, Hyder AA. A systematic review of the epidemiology of unintentional burn injuries in South Asia.J Public Health (Oxf). 2013;35(3):384-96.

10. Millan LS, Gemperli R,Tovo FM,Mendaçolli TJ,Gomez DS,Ferreira MC. Estudo epidemiológico de queimaduras em crianças atendidas em hospital terciário na cidade de Sao Paulo. Rev Bras Cir Plást. 2012;27(4):611-5.

11. Fernandes FMRA, Torquato IMB, Dantas MSA, Pontes Júnior FAC, FerreiraJA, Collet N. Queimaduras em crianças e adolescentes: caracterizaçao clínica e epidemiológica. Rev Gaúcha Enferm.2012;33(4):133-41.

12. Biscegli TS, Benati LD, Faria RS, Boeira TR, Cid FB, Gonsaga RAT. Perfil de crianças e adolescentes internados em Unidade de Tratamento de Queimados do interior do estado de Sao Paulo. Rev Paul Pediatr. 2014;32(3):177-82.

13. Arrunátegui GCC. Queimaduras com álcool em crianças: realidade brasileira e vulnerabilidades [Tese de doutorado]. Sao Paulo: Universidade de Sao Paulo, Faculdade de Saúde Pública;2011. 154p.

14. Nascimento LKA, Barreto JM, Costa ACSM. Unidade de Tratamento de Queimados: perfil epidemiológico dos pacientes admitidos na Fisioterapia. Rev Bras Queimaduras. 2013;12(3):177-81.

15. Albornoz CR, Villegas J, Peña V, Whittle S. Sociodemographic/clinicalcharacteristics and outcomes of patientsadmitted to the NationalBurn Center of Chile. Rev Med Chil.2013;141(2):181-6.

16. Zayakova Y, Vajarov I, Stanev A, Nenkova N, Hristov H.Epidemiological analysis of burnpatients in eastBulgaria.Burns.2014;40(4):683-8.










1. Doutorando em Ciências Biomédicas pelo Instituto Universitário Italiano de Rosário. Professor do Curso de Medicina da Universidade Tiradentes. Coordenador e Cirurgiao Plástico da UTQ do HUSE, Aracaju, SE, Brasil
2. Graduandas em Medicina pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Aracaju, SE, Brasil
3. Graduandos em Medicina pela Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju, SE, Brasil
4. Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Aracaju, SE, Brasil
5. Cirurgia Plástica assistente do Hospital de Urgência de Sergipe, Aracaju, SE, Brasil

Correspondência:
Manuela Sena de Freitas
Rua Joao Garcez Vieira, nº 26, bairro Aeroporto, Santa Tereza
Aracaju, SE, Brasil - CEP: 49037320
E-mail: manusena_@hotmail.com

Artigo recebido: 28/12/2014
Artigo aceito: 7/4/2015
Esse artigo nao possui conflitos de interesse e fontes de financiamento

Local de realizaçao do trabalho: Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE). Aracaju, SE, Brasil.

© 2021 Todos os Direitos Reservados